Biografia Draco Malfoy

Header Ads Widget

Ticker

6/recent/ticker-posts

Biografia Draco Malfoy


NASCIMENTO: 5 de junho de 1980
SANGUE: Puro-sangue
ESTADO CIVIL: Viúvo
COR DOS CABELOS: Loiro platinado
CASA: Sonserina

Draco Lúcio Malfoy (5 de junho de 1980) é um bruxo puro-sangue e filho mais velho de Lúcio e Narcisa Malfoy. Como filho de um Comensal da Morte, Draco foi criado acreditando fielmente na importância da pureza do sangue. Ele frequentou a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts de 1991 a 1998 e foi selecionado para a Sonserina. Durante seus anos em Hogwarts, ele se tornou amigo de Vincent Crabbe, Gregório Goyle, Pansy Parkinson e outros sonserinos, enquanto desenvolveu uma rivalidade com Harry Potter. Ele se tornou monitor de sua casa e foi um membro da Brigada Inquisitorial durante seu quinto ano. No fim deste, seu pai foi preso em Azkaban depois da Batalha do Departamento de Mistérios. Se tornou então um Comensal da Morte aos dezesseis anos, mas rapidamente se desiludiu. Draco não conseguiu cumprir sua tarefa — assassinar Alvo Dumbledore, que foi morto por Severo Snape — e cumpriu seus outros deveres amedrontado e relutantemente. Ele e sua família fugiram horas antes da Segunda Guerra Bruxa para evitarem a prisão em Azkaban depois da derrota de Voldemort. Draco se casou com Astoria Greengrass e teve um filho com a mesma, Scorpius Malfoy.

Inicio da vida (1980-1991)


Draco é o filho mais velho de Lúcio e Narcisa Malfoy (née Black), que eram ambos nascidos em velhas e ricas famílias puro-sangue. Através de sua mãe, Draco era um descendente da Mui Antiga e Nobre Casa dos Black. Ambos, Malfoys e Blacks, tinham sido tradicionalmente da Casa da Sonserina por séculos e reprovavam fortemente quaisquer parentes que não seguissem esta tradição.

Anos de Hogwarts (1991-1998)


Primeiro Ano


"Sabe como eu acho que eles escolhem as pessoas para o time da Grifinória. São pessoas das quais eles sentem pena. Há o Potter, que não tem pais, e tem os Weasleys, que não tem dinheiro - você deveria ser parte do time, Longbottom, você não tem cérebro."
- Draco insultando os estudantes da Grifinória

Quando Draco foi ao Beco Diagonal para comprar seus materiais escolares em 1991, ele conheceu Harry Potter comprando uniformes, sem saber quem ele era. Ele deu um discurso bem intolerante sobre nascidos-trouxa e Rúbeo Hagrid, mas agiu de maneira amigável com Harry. Depois, no Expresso de Hogwarts, ele ofereceu sua amizade a Harry, já que seu pai acreditava que o menino era um bruxo das trevas, e Draco desejava impressioná-lo e mandar notícias interessantes para casa. Porém, Harry não gostou da atitude de Draco a respeito de Ron Weasley, que já era amigo de Harry. Além disso, o comportamento de Draco lembrava Harry de seu primo, Duda, com seu desdém. Por isso, ele rejeitou o pedido de amizade, criando animosidade que durou até o resto de seus anos escolares.

Uma vez em Hogwarts, Draco foi escolhido para a casa Sonserina, assim como vários outros membros de sua famíia. Ele rapidamente fez amizades com outros estudantes de sua casa, continuando hostil em relação a Harry, ao ponto de desafiá-lo a um duelo. Essa era, na verdade, uma tentativa de fazer com que Harry tivesse problemas por estar acordado após o toque de recolher. Ele ressentia a atenção que Harry ganhava por causa de sua fama e sua habilidade em voar, que levou Harry a ser permitido a jogar Quadribol um ano antes do permitido na escola.

Mais tarde, no mesmo ano, Draco descobriu o plano de Harry de tirar o dragão de Hagrid para fora do castelo e informou a Professora McGonagall, mas também ficou em detenção por estar acordado após o horário. Para sua detenção, Draco teve que ajudar Hagrid, Harry e Hermione (que haviam sido pegos após tirarem Norberto do castelo) a encontrar um unicórnio ferido. Esse trabalho foi ressentido por ele, já que ele achava ser uma tarefa "para servos". Ele e Harry presenciaram Voldemort, habitando o corpo de Quirrell, bebendo o sangue de um unicórnio. Draco fugiu por medo, deixando Harry para trás.

Segundo ano 


Em seu segundo ano de Hogwarts, Draco ganhou a posição de Apanhador no time de Quadribol da Sonserina. Seu pai comprou Nimbus 2001 para todo o time por causa disso, o que fez Hermione Granger abertamente especular que aquela era a razão pela qual Draco havia entrado no time. Draco respondeu raivosamente a essa acusação, e chamou Hermione de "sangue-ruim", fazendo o time da Grifinória se irritar; Ron tentou enfeitiçá-lo para vomitar lesmas, mas o feitiço virou-se contra o feiticeiro, por causa de sua varinha quebrada.

Ironicamente, Draco foi a razão pela qual a Sonserina perdeu para Grifinória naquele ano no Quadribol, já que ele não havia notado que o pomo de ouro voava centímetros acima de sua orelha esqueda - muito ocupado insultando Harry para notar. Harry aproveitou o momento de distração, fazendo com que a Grifinória ganhasse a partida. Ele foi repreendido pelo capitão do time, Marcus Flint, por sua estupidez, o que foi presenciado por George Weasley. 

Harry, Ron e Hermione suspeitaram que Draco pudesse ser o Herdeiro de Sonserina, devido a suas visões sobre nascidos-trouxas e da longa linhagem de bruxos em sua família que pertenciam à Sonserina. Hermione produziu então uma poção Pollissuco no banheiro feminino para que Harry e Ron pudessem se disfarçar de Gregory Goyle e Vincent Crabbe, respectivamente, e entrar no Salão Comunal da Sonserina. Lá, Draco revelou durante uma conversa que ele não era o Herdeiro, e que também não sabia quem era. Ele também disse que a Câmara Secreta havia sido aberta há cinquenta anos e que ele desejava ajudar o verdadeiro herdeiro. 

Era, na verdade, o próprio pai de Draco que planejou abrir a Câmara Secreta novamente, plantando um diário antigo de Tom Riddle em uma estudante do primeiro ano, Gina Weasley; seu verdadeiro alvo, porém, era seu pai, Arthur Weasley. Não parece que Draco conhecia esse fato, já que as únicas instruções de Lúcio naquele ano foram para "manter sua cabeça baixa". O diário era uma Horcrux, contendo uma peça da alma de Voldemort, e foi distruído quando Harry o acertou com uma presa de basilisco na própria Câmara.

Terceiro Ano


Na primeira aula de Rúbeo Hagrid na disciplina de Trato das Criaturas Mágicas em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, o hipogrifo, Bicuço, ataca Draco após ele não observar o protocolo adequado para se aproximar e o insultar. Ele exagera em relação a sua lesão, dando a Sonserina a oportunidade de adiar a partida contra Grifinória até o final do ano e uma tentativa de despedir Hagrid. Hermione dá um tapa em Draco quando em zoa de Hagrid por chorar devido a sentença de morte dada a Bicuço. Draco, que está ciente do suposto envolvimento de Sirius Black na morte dos pais de Harry, também provoca Harry sobre uma ameaça iminente de Black: "Se fosse eu, iria querer vingança. Eu o caçaria, eu mesmo".

Quarto Ano


Depois de Harry se inesperadamente escolhido para ser um dos campeões do Torneio Tribruxo em Harry Potter e o Cálice de Fogo, Draco mostra ser apoiador de Cedrico Diggory para Harry, depois pressiona para para substituir para a frase "Potter Fede". Draco também fornece informações maliciosas e muitas vezes sobre Harry e Hagrid para atrapalhar a jornalista do Profeta Diário, Rita Skeeter. Quando Draco tentar amaldiçoar Harry pelas costas, o professor de Defesa Contra as Artes das Trevas Alastor Moody (na verdade Bartô Crouch Jr. disfarçado via Poção Polissuco) humilhando Draco ao transformá-lo em um furão e o bater repetidamente no chão e o colocar na calça de Goyle.

Quinto Ano


Em Harry Potter e a Ordem da Fênix, Draco é nomeado monitor da Sonserina junto com Pansy Parkinson. Ele proíbe Harry e os gêmeos Weasley de jogarem no time de Quadribol quando eles o atacam durante uma briga após Draco insultar suas famílias após a vitória da Grifinória sobre Sonserina. Mais tarde ele se junta a Brigada Inquisitorial de Dolores Umbridge, com que desempenha um papel importante para revelar a Armada de Dumbledore. Como descobre o local na Sala Precisa, Draco ganha cinquenta pontos para Sonserina depois de capturar Harry e ajudar a mantar vários membros presos no escritório de Umbridge. Depois que seu pai e outros Comensais da Morte são capturados e sentenciados a Azkaban seguido dos eventos no Departamento de Mistérios, Draco tenta vingar-se duas vezes de Harry, mas Snape e Minerva McGonagall frustam seu primeiro plano, e ao voltar para casa no Expresso de Hogwarts, Draco, Crabbe e Goyle são transformados em lesmas gigantes por vários membros da A.D. que vieram em defesa de Harry.

Sexto Ano


Draco é envolvido nas atividades dos Comensais da Morte. Devido a prisão de Lúcio Malfoy e estarem apoiando Voldemort, Narcisa Malfoy e Bellatrix Lestrange visitam Snape em sua casa para discutir uma tarefa perigosa que Voldemort atribui a Draco. Narcisa, profundamente preocupada com seu filho que ele venha morrer em sua tentativa de concluir, implora que Snape faça o Voto Perpétuo para ajudar Draco nessa tarefa e protegê-lo a todo custo, e se Draco falhar para completar a missão, ele deverá completar; ele concorda.

Usando a Capa da Invisibilidade, Harry, Rony e Hermione seguem Draco até Borgin e Burkes, uma loja de magia negra no Beco das Travessas. Draco ameaça Sr. Borgin sobre reparar um item e manter outro seguro para ele. Draco mostra ao Sr. Borgin algo em seu braço que Harry acredita ser a Marca Negra, o símbolo de Voldemort; embora Harry possa estar certo ou não, nunca foi confirmado. No Expresso de Hogwarts, Harry, invisível, espia Draco e o ouve discutindo a tarefa de Voldemort com outros Sonserinos. Draco descobre que Harry está presente e uma vez sozinho no compartimento, ele o imobiliza e quebra seu nariz fazendo que Harry tenha mais raiva de Draco. Quando Cátia Bell quase morre em Hogsmeade depois de manusear um colar amaldiçoado e Rony quase morre bebendo um hidromel, Harry suspeita que Draco está por trás dos ataques.

No livro, Draco é retratado pela primeira vez desde o início da saga, retratado como tendo considerável iniciativa, engenhosidade e perseverança. No entanto, ao contrário de Harry que sempre conta com o apoio e ajuda de seus amigos, Draco trabalho sozinho na Sala Precisa, recusando-se a confidenciar ou envolver seu próprio círculo de amigos, a quem ele trata mais como subordinados. Isso faz parte da tarefa que deve realizar, quase o levando a um colapso nervoso. Quando Harry encontro Malfoy chorando no banheiro da Murta que Geme, Draco tenta lançar a Maldição Cruciatus. Harry é mais rápido e lança o Sectumsprempra que ele aprendeu no livro misterioso do Príncipe Mestiço. Snape, alertado pelos gritos de Murta, rapidamente chega e leva Draco para a área hospitalar.

Próximo ao final, Draco embosca e desarma um Dumbledore gravemente enfraquecido na Torre de Astronomia. Depois que Draco o desarma, Dumbledore calmamente argumenta com o adolescente assustado e o convence a revelar como ele, de acordo com as ordens de Voldemort, tentou matar o diretor através do colar amaldiçoado e do hidromel envenenado. Malfoy revela que ele consertou o Armário Sumidouro da Sala Precisa para atuar como um portal que permita aos Comensais da Morte entrar em Hogwarts. Draco hesita em matar Dumbledore e ele finalmente abaixa sua varinha. Snape chega, mata Dumbledore e depois foge de Hogwarts com Draco. Como revelado durante seu confronto com Dumbledore, Draco era um garoto inseguro incapaz de cometer assassinato a sangue frio e foi forçado a fazer a oferta de Voldemort sob a ameaça de sua morte e de seus pais.

Sétimo Ano


Os Malfoy continuam sendo seguidores de Voldemort, que agora usa sua casa como sede; Draco desmaia depois de testemunhar Voldemort assassinar o professor de Estudos Trouxas, Charity Burbage. Harry tem experiências de visão ocasionais e perturbadoras de Draco sendo forçado a cumprir ordens de Voldemort. Quando Harry, Rony e Hermione sã capturados e presos na Mansão Malfoy, Draco deve identificá-los e ele responde com "Pode ser". Durante a fuga bem-sucedida da Mansão Malfoy, liderada por Dobby, Harry domina Draco e toma sua varinha.

Quando Harry, Rony e Hermione procuram a diadema de Ravenclaw na Sala Precisa, Draco, junto com Crabbe e Goyle, tenta capturar Harry vivo. Quando, Crabbe desafia as ordens de Draco e tenta matar o trio lançando o feitiço Fogomaldito; incapaz de controlar o feitiço, enquanto o trio resgata Draco e Goyle. Draco, apesar de suas atitudes depreciativas em relação a Crabbe e Goyle, lamenta a perda de seu amigo. Durante a Batalha de Hogwarts, Draco é visto implorando a um Comensal da Morte que parece querer o matar. Ele mais uma vez é salvo por Harry e Rony, o último dando um soco no rosto de Draco sob a capa da invisibilidade por tentar apaziguar um Comensal da Morte.

Apesar de Draco não participar diretamente no confronto final entre Harry com Voldemort, ele influencia seu resultado. Depois que Harry é atingido pela maldição Avada Kedrava, Voldemort ordena que Narcisa verifique se Harry morreu. Ela detecta seu batimento cardíaco, mas ela mente para Voldemort, sabendo que poderá procurar seu filho se os Comensais da Morte retornarem para Hogwarts. Uma reviravolta na trama revela que Draco havia conquistado a confiança das Varinhas das Varinhas quando ele desarmou Dumbledore, mesmo que Draco nunca tivesse possuído a varinha. A lealdade da varinha passa para quem derrota seu dono, Harry havia desarmado Draco na Mansão Malfoy, tornando-se seu novo mestre; isso impede que Voldemort use todo o seu poder. No final, é a mentira de Narcisa concernente a morte de Harry que livra os Malfoy da prisão em Azkaban.

Aparência física


Draco é um rapaz magro, com cabelo liso loiro-platinado, olhos cinzentos frios e uma pele pálida. Ele foi descrito como tendo boa aparência. Em seu primeiro e segundo anos, ele tinha cabelo loiro penteado firmemente para trás. Draco é dito como sendo fortemente semelhante a seu pai. Quando Draco se juntou os Comensais da Morte, Lord Voldemort colocou a Marca Negra em seu antebraço esquerdo, que desde então desapareceu a uma simples cicatriz após a morte de Voldemort.

Durante os primeiros cinco anos de escola, Draco manteve uma aparência relativamente saudável. No entanto, em seu sexto ano em diante, quando a tensão de sua missão estava ficando mais intensa, o rosto presunçoso de Draco foi perdido, e ele tornou-se bastante magro, com sombras escuras sob os olhos e um tom acinzentado em sua pele.

Como um adulto, Draco deixou seu cabelo crescer e começou a usá-lo em um rabo de cavalo.

Personalidade e traços


Draco era, em geral, um tirano arrogante e rancoroso. Como Dudley Dursley, sua natureza narcisista provavelmente era decorrente de ser mimado por seus pais ao longo de sua infância, embora, de acordo com o próprio Harry, Draco ainda era menos simpático do que seu primo. Ele acreditava ser superior à maioria das pessoas por causa da linhagem pura-sangue de sua família, bem como uma grande riqueza e posição social. Ele frequentemente se comportava com crueldade para com nascidos trouxas, os chamados traidores de sangue, estudantes da Grifinória, e qualquer um que era um defensor do Harry Potter ou Alvo Dumbledore.

No entanto, algo começou a mudar na psique de Draco em seu sexto ano em Hogwarts. Depois de Lord Voldemort fazer dele um Comensal da Morte, ele deu Draco a tarefa de assassinar Albus Dumbledore até o final do ano, algo que Draco estava muito ansioso para fazer. Após uma série de tentativas falhas, Draco começou a rachar sob a enorme pressão que Voldemort estava colocando sobre ele. Ele estava incerto de sua capacidade para cumprir a missão e tinha medo de que ele e sua família pagariam o preço por seu fracasso; o estresse levou-o a ser imprudente como suas duas tentativas falhas e ele tentou uma Maldição Cruciatus em Harry, apesar das consequências de uma sentença de prisão perpétua em Azkaban. Ao longo do ano, a missão também levou Draco a negligenciar outros aspectos da sua vida escolar que antes teria abusado ou apreciado: ele rejeitou seus deveres como monitor, aos quais uma vez ele ficaria feliz em abusar; fingiu ficar doente e pagou um outro estudante para assumir o seu lugar, a fim de evitar jogar Quadribol, ao contrário de três anos antes, quando ele garantia em todas as partidas a serem adiadas ao exagerar uma lesão menor, a fim de atender aos interesses da equipe; ele perdeu duas tarefas de casa de Transfiguração; ele se distanciou de seus amigos Crabbe e Goyle; e ele também gastou menos tempo zombando de Harry e seus amigos, apesar das muitas oportunidades. Em última análise, Draco foi incapaz de matar Dumbledore, baixando a varinha e ser tentado a aceitar a proposta de proteção para os seus pais, feita por Dumbledore. Além disso, durante a Batalha de Hogwarts, ele mostrou preocupação genuína com Crabbe e Goyle, algo que raramente fazia.

Draco era muito inteligente e perspicaz, capaz de deduzir coisas e criar planos inteligentes com base em uma pequena quantidade de informação; seu pai esperava que ele obtivesse as melhores notas na escola depois em seu primeiro ano, e mostrou decepção ao ver que Hermione o havia superado. Ele descobriu através da experiência de Montague que os armários sumidouros em Hogwarts e na Borgin e Burkes estavam ligados e que ele poderia usar essa passagem para a sua vantagem. No entanto, seus planos podem ter limitações com base em sua própria arrogância quando se lida com as pessoas; quando tentou sabotar Harry durante o jogo Grifinória-Corvinal em seu terceiro ano, todo o seu plano foi baseado unicamente em torno da ideia de que a aparência dos Dementadores assustava Harry, ignorando o fato de que eram os efeitos que os Dementadores tinham sobre ele que causavam problemas a ​​Harry. Draco também era adepto de compartimentar suas emoções, como é evidenciado no seu sucesso com Oclumência.

Para o resto da Segunda Guerra Bruxa, Draco tornou-se desiludido com o estilo de vida dos Comensais da Morte. Ele relutantemente participou de atividades dos Comensal da Morte e, até o final da guerra, manteve-se em cima do muro. Quando Harry Potter foi capturado em sua casa, Draco mostrou grande hesitação em identificá-lo diante dos Comensais da Morte.

Está implícito que, como um adulto, Draco lamentou ter unido-se aos Comensais da Morte e perdeu um pouco de sua intolerância, já que ele tem uma relação civilizada com os velhos rivais de escola e, evidentemente, criou seu filho Scorpius para ser uma pessoa melhor do que ele. Mais tarde, ele admitiu a Harry que ele nunca realmente desejou poder como seu pai e que sua ambição era, na verdade, para se tornar um jogador de Quadribol, mas ele não era bom o suficiente, e, principalmente, ele só queria ser feliz. Ele também invejava amizades de Harry, como ele só teve Crabbe e Goyle.

Draco foi um marido muito carinhoso e dedicado a Astória, depois de ter dito a ela que ele não se importava se ele acabasse com a linhagem Malfoy, a fim de protegê-la da maldição de sua família que fez o parto perigoso e prejudicial para a sua saúde. Draco também foi bastante sábio em seus últimos anos, sem nunca ter cedido a seu desejo de usar o Vira-Tempo secreto de sua família para ver sua esposa por mais de um minuto, tendo demasiado respeito por seus desejos e sua memória a arriscar comprometer o cronograma para sua amada Astória.

Ele também tinha muito mais fé nos outros a esta altura. Na esteira da morte de sua esposa, ele implicitamente confiou em Alvo Potter para chegar em seu filho de uma forma que não deixaria Scorpius isolar-se completamente no sofrimento e ajudá-lo. Isso mostra que, apesar de sua história com o pai de Alvo, Draco não lhe tinha rancor algum por isso, demonstrando ter, implicitamente, um relacionamento amigável com o menino.

Capacidades e habilidades mágicas


Draco era um bruxo talentoso desde tenra idade e possuía várias habilidades mágicas impressionantes. Sua varinha foi feita de espinheiro, que somente deve se considerar colocar nas mãos de uma bruxa ou bruxo de talento comprovado.

Oclumência: Em seu sexto ano, sua tia Belatriz Lestrange, lhe ensinou Oclumência para prepará-lo para a sua missão. Como Draco já havia encerrado sua compaixão para se tornar o valentão que ele era, foi muito mais fácil para ele fechar sua mente e desassociar-se de suas emoções.

Poções: Ele se tornou muito bom com poções em uma idade bastante jovem. Isto poderia ser porque Snape favorecia Draco e poderia ter-lhe dado uma ajuda extra em sua classe. Em qualquer caso, ele foi capaz de passar o seu exame NOM no assunto com uma marca de pelo menos Excede Expectativas e mais Ótimo, já que, aparentemente, ele tinha tanto o livro quanto os ingredientes na primeira aula do Professor Horácio Slughorn.

Defesa Contra as Artes das Trevas: Draco avançou para a classe de nível NIEM, então ele alcançou uma pontuação alta em seu NOM. Embora Draco estivesse mais interessado em usar magia negra do que defender-se dela, não levando a disciplina tão a sério, apesar das tentativas de Snape de convencê-lo do quanto a matéria era importante. Seu valor teórico no curso pode ter sofrido como resultado, apesar de mostrar experiência prática.

Magia Não-verbal: Draco dominava feitiços não-verbais antes de seu sexto ano, o que inclui o bloqueio de azarações não-verbal, algo que deve ter muita habilidade e concentração para fazer e apenas algumas em seu ano conseguiriam fazer isso.

Quadribol: Ele foi um bom jogador de Quadribol. Ele começou a voar em uma idade mais jovem mostrando suas habilidades em seu primeiro ano. Apesar de sua entrada na equipe ser reforçada devido ao seu pai subornar a equipe com as novas vassouras Nimbus 2001, ele também tinha talento suficiente, embora Harry ainda superasse ele em pura habilidade, apesar da suposta experiência de Draco e vassoura superior em seu primeiro jogo contra o outro. Quando Draco se recusou a jogar durante seu sexto ano, a sua equipa sofreu muito devido ao fato de que seu substituto ter feito um trabalho mais pobre, o que sugere que nenhum sonserino durante o seu tempo era melhor do que ele.

Duelos: Draco foi um duelista muito competente por um bom tempo, uma habilidade provavelmente herdada de seus pais. Ele foi capaz de lançar o Feitiço do Corpo Preso em seu primeiro ano, algo que Rúbeo Hagrid disse que nenhum aluno do primeiro ano seria capaz de fazer. No ano seguinte, ele pode lançar um estupefaça tão poderoso que jogou o seu adversário do outro lado da sala. Em seu sexto ano, Draco podia executar várias azarações não-verbais, algo que a maioria dos alunos do sexto ano não podia fazer. Ele foi derrotado por Gina Weasley em seu quinto ano e por Hermione Granger em seu sétimo.

Transfiguração: Draco assistiu aulas de Transfiguração nível NIEM, ou seja, ele alcançou uma marca alta em seu NOM. Em seu segundo ano com alguns conselhos simples de Snape, ele foi capaz de conjurar uma cobra, algo que é uma forma avançada de transfiguração, esperado de alunos no sexto ano e acima, embora seja uma transfiguração mais simples. Ele também ajudou a transfigurar com sucesso Harry em um sósia de Voldemort, a fim de enganar e emboscar Delphini em 31 de outubro de 1981. Isso exibe um alto nível de habilidade na área como transfiguração humana sobre o nível de representação. É altamente complexa.

Feitiços:


Maldições Imperdoáveis: Draco aprendeu a lançar, pelo menos, duas das Maldições Imperdoáveis em seu sexto ano (foi mostrado a ele os efeitos de todas as três por Bartô Crouch Jr. em seu quarto ano nas aulas de Defesa Contra as Artes das Trevas): a Maldição Cruciatus e a Maldição Imperius. Ambos eram extremamente difíceis e mesmo muitos bruxos adultos não conseguiam realizar; sua tia Belatriz pode tê-lo ensinado enquanto ela estava lhe ensinando Oclumência e feitiços não-verbais. Sua Maldição Imperius era forte o suficiente para manter Madame Rosmerta sob controle por quase um ano inteiro, enquanto ele usou a Maldição Cruciatus para punir Thorfinn Rowle. É possível que ele tenha a capacidade (mas não a vontade) para executar a Maldição da Morte, bem como ele foi designado para matar Alvo Dumbledore.

Reparação mágica: Draco conseguiu reparar o Armário Sumidouro em seu sexto ano, com alguma ajuda de Borgin, embora tenha levado a maior parte do ano. O gabinete foi esmagado por Pirraça em seu segundo ano e Draco reparou de que o elo mágico entre os dois armários podia ter sido danificado.
Alquimia: Depois de se formar em Hogwarts, Draco começou a estudar alquimia como um hobby.

Propriedades


Varinha de Draco Malfoy: a varinha de Draco tem 25,4 cm de comprimento, feita de pilriteiro, e tinha um núcleo de pelo de unicórnio. A varinha foi fabricado pela Garrick Olivaras e foi descrito por ele como sendo "Razoavelmente flexível".

Nimbus 2001: O pai de Draco comprou para toda a equipe de quadribol da Sonserina Nimbus 2001, em troca de seu filho jogar como apanhador.

Vira-Tempo: Draco possui um Vira-Tempo, dado-lhe por seu pai. Ao contrário dos dispositivos do Ministério que estão vinculados por um curso de segurança de cinco horas, este é um dispositivo genuíno que permite viajar para muito mais longe no passado. Além disso, ao contrário do protótipo possuído por Theodore Nott, ele não é limitado por um tempo de permanência de cinco minutos antes de voltar para o presente. Draco manteve o dispositivo com ele e pensou em usá-lo para ver sua falecida esposa novamente, e Harry notou que manter um artefato tão perigoso poderia leva-lo para Azkaban. No entanto, este Vira-Tempo foi fundamental para salvar o cronograma original da interferência de Delphini.

Epílogo


No epílogo, Draco se casou e tem um filho, Scorpius Malfoy. Apesar de não serem amigos, Malfoy diminuiu sua animosidade em relação a Harry, e ao vê-lo na estação King Cross, dá um breve aceno para Harry, Rony, Hermione e Gina Weasley.

Postar um comentário

0 Comentários